Com certeza você já deve ter tomado um susto ao receber a conta de energia elétrica da sua casa ultimamente. Pois é, neste ano as tarifas de energia subiram muito, em alguns casos mais de 60% (e devem subir ainda mais). Além disso, quando o custo da produção da energia aumenta, surge na conta a chamada “Bandeira Vermelha”, que aumenta ainda mais o valor do quilowatt-hora de energia. Isto porque a crise hídrica que atinge boa parte do Brasil também impacta a produção de energia pois cerca de 65% da eletricidade no Brasil vem das usinas hidrelétricas, que dependem do nível dos reservatórios de água, que está baixo na maioria das represas.

Você já deve estar quebrando a cabeça para encontrar formas de economizar energia em casa e ver a conta de luz voltar aos valores do ano passado, né? Algumas medidas básicas você provavelmente já tomou: apagar as luzes durante o dia ou quando não tem ninguém no ambiente, não dormir com a TV ligada e desligar os aparelhos eletroeletrônicos quando não estão sendo usados e trocar as lâmpadas incandescentes pelas fluorescentes… . E é sempre bom lembrar: economizando energia, você não só gasta menos como ajuda a preservar os recursos naturais do nosso planeta!

Mas existem formas de economizar menos óbvias, e gastos “invisíveis” e silenciosos de energia que, se você ficar atento, podem ser evitados, e vamos listar alguns deles aqui! Experimente implantar essas dicas na sua casa e você vai se surpreender quando chegar a conta do próximo mês, além de saber que está colaborando com a preservação ambiental.

1 – Desligue TUDO da tomada! Epa, claro que a geladeira não dá pra desligar da tomada, mas praticamente todos os outros aparelhos elétricos e eletroeletrônicos gastam energia mesmo desligados, se ficarem ligados na tomada. Principalmente aqueles que ficam em modo “stand-by”. Sabe aquelas luzinhas que ficam acesas quando você aperta o botão “off” do aparelho? Pois é, isso pode significar até 10% do consumo de energia da sua casa em um mês. A dica é tirar tudo da tomada quando não estiver em uso. Ah! Isso vale também para os carregadores de celular.

2 – Desligue o computador quando não estiver usando: Muita gente também nunca se lembra de desligar o computador, seja o desktop ou o notebook, quando não está usando. A maioria dos computadores entra em modo de “hibernação” após algum tempo sem uso, mas mesmo gastando menos energia, esse modo ainda consome eletricidade. Portanto, lembre-se sempre de desligar (e tirar da tomada) seu PC ou Mac.

3 – Aposente o ferro de passar: você é daqueles que gostam de ter todas as roupas bem passadas? Mas pense: é preciso mesmo passar tudo? Ok, roupas mais sociais, principalmente calças e camisas de algodão, precisam ser passadas. Mas camisetas, roupas íntimas, e qualquer peça de tecido sintético não precisam. A dica para as camisetas de algodão não amassarem é você colocá-las em um cabide para secar no varal. Elas ficarão esticadinhas! O ferro de passar é um dos eletrodomésticos que mais consome energia, e se você realmente precisa passar roupa, junte tudo e passe-as de uma vez, sem ficar ligando e desligando o aparelho toda hora. Isso ajuda a economizar.

 

4 – Invista nas lâmpadas LED: Sim, você já trocou as velhas lâmpadas incandescentes pelas fluorescentes. Mas se quer economizar ainda mais, o modo mais eficiente é apostar na nova tecnologia das lâmpadas LED. Se as incandescentes têm 60 watts de potência, apenas 750 horas de vida útil e 95% da energia que produzem é perdida em forma de calor, e as fluorescentes tem 15 W, 8 mil horas de vida útil e útil e 0% da energia transformada em calor, as LED tem uma impressionante eficiência. Com apenas 9 W de potência, elas duram 25 mil horas e perdem apenas 5% da energia. As lâmpadas LED ainda são caras (no mínimo R$ 30 cada, contra menos de R$ 10 das fluorescentes), mas em um ano, se você tiver 13 pontos de iluminação na sua casa, a economia na conta de luz vai ser de nada menos que R$ 800! Não é a toa que as lâmpadas LED estão também começando a ser utilizadas em larga escala na iluminação pública das cidades.

5 – Fique de olho no selo do Procel: essa dica parece básica, mas muita gente esquece. O selo de eficiência energética do Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica (Procel) é a forma mais fácil de saber se um eletrodoméstico ou aparelho eletrônico é econômico. Só compre os que têm a classificação A, a mais eficiente no gasto de energia!

Não é tão difícil seguir essas dicas, né? Você vai ver o quanto vai economizar com elas, e pode nos agradecer nos comentários 😉

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima